Bocejar é…

Temos aqui um iogurte da Nestlé que se chama Yoggi. É razoável, eu não curto muito iogurte, excepto os sorvetes de iogurte, como o Yogoberry… isso seria maravilhoso aqui em Portugal, e caso alguém esteja pensando em trazer a ideia ou a tecnologia pra terrinha, acho que seria um excelente investimento. Aqui os jovens tem muita preocupação com a aparência (conta-se calorias pra tudo e as mulheres e homens estão cada vez mais estreitinhos) e os mais velhos estão cheios de problemas de colesterol e glicose. Pra que não conhece o conceito, visitem a página e conheçam mais. Existem outras redes, mas eu só conheço uma 🙂

Então. Voltando ao Yoggi. Lançaram uma nova campanha publicitária e toda vez que eu passo por ela, eu bocejo.

E é chato, porque a qualquer hora do dia ou da noite, eu bocejo… E eu já tinha ouvido em alguma reportagem que o bocejo é contagioso entre os humanos, menos entre os bebês e não existia até então uma justificativa científica pra isso. É assim e ponto final. Resolvi pesquisar mais pra saber… quem sabe descobriram algo? Aquele tipo de informação inútil, mas que não faz mal nenhum em saber.

Definição conforme dicionário:
bocejo (â ou ê ou âi)
s. m.   Abrimento involuntário de boca.

bocejar
v. intr.
1. Fazer bocejo.
2. Enfastiar-se; aborrecer-se.

O bocejo é uma ação involuntária, na qual abrimos a boca e respiramos fundo.

  • É contagioso
  • Pesquisas recentes afirmam que este mecanismo ocorre em fetos de 11 semanas de vida
  • O bocejo dura, em média, seis segundos
  • Os batimentos do coração podem se elevar em até 30% durante um bocejo
  • 55% das pessoas bocejam até cinco minutos depois de terem visto alguém bocejar
  • Cegos bocejam mais após ouvirem alguém bocejando
  •  Ler sobre o bocejo faz você bocejar
  • Atletas olímpicos normalmente bocejam antes de uma competição
  • Estudos recentes mostram que o fenômeno também está relacionado com nossa predisposição à empatia com outras pessoas
Alguns estudos reforçam o que os neurologistas descobriram por meio das imagens do cérebro: o bocejo contagioso está associado às mesmas partes do cérebro que lidam com a empatia. Essas regiões, o lóbulo quadrado e o giro temporal posterior, estão localizadas na parte de trás do cérebro. E embora a relação entre o bocejo contagioso e a empatia tenha sido estabelecida, as explicações para isso ainda estão sendo investigadas.

Achei três teorias que “explicam” a razão do bocejo:

Teoria física

Nossos corpos induzem o bocejo para obter mais oxigênio e retirar um acúmulo de dióxido de carbono. Grupos grandes de pessoas produzem mais dióxido de carbono, o que significa que nossos corpos criam o bocejo para conseguir mais oxigênio e se livrar do excesso de dióxido de carbono, por isso bocejamos quando estamos em grupos.

Teoria da Evolução
De acordo com essa teoria, nossos ancestrais já realizavam uma espécie de bocejo para mostrar os dentes, e que este ato seria uma manifestação de confronto.

Teoria do Tédio
Defende que o bocejo acontece em situações de tédio, fadiga ou cansaço.

No final de algumas horas, foi mais ou menos isso que encontrei espalhado na net.

E você? Bocejou quantas vezes ao ler este artigo?

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s