Pós cirúrgico II

E 6 semanas após a cirurgia, como está a Luka?

Como já vos contei antes, a Luka teve uma luxação coxofemoral e foi submetida a uma cirurgia para remoção da cabeça do fêmur. Isso foi em 06/02.

Depois ela teve umas complicações paralelas (flebite e abcesso), que foram tratadas com medicação.

Tivemos todo o cuidado em respeitar criteriosamente todas as recomendações da ortopedista para a boa recuperação da Luka e fizemos uma revolução em casa para evitar acidentes e proporcionar o maior conforto para nossa paciente. Desmontamos o sofá, dormimos na sala para ela não se empolgar e tentar nos acordar se apoiando na nossa cama.

Nos dedicamos em fazer compressas de gelo no local da cirurgia, em fazer curativo conforme recomendado pela vet, nas massagens para estimulação do músculo para evitar a atrofia, cumprimos à risca a medicação passada.

Os pontos foram removidos na totalidade com 12 dias após a cirurgia. A expectativa é que na 4a. semana ela já começasse a usar a pata traseira, para pelo menos apoiar. Ela começou a usá-la precisamente na 4a. semana, mas só para apoiar e depois de ter ido à rua. Acho que estava com o músculo mais aquecido, então talvez ficasse mais à vontade pra encostar a patinha no chão.

Na 5a. semana, tomamos mais um susto. Estávamos no “sofá” desmontado na sala (nível do chão) e adormecemos os 3: eu, marido e Luka. Já era próximo das uma e tal da manhã, eu meio que desperto e chamo o marido pra ir dormir no quarto (somos os 2 grandes, mais a Luka que não é pequena, conforto zero) e catuco a Luka pra levantar e nos deixar sair da cama. Ela começa a se levantar, apoia na pata da frente e cai em cima de mim. E não se levantou mais.

Nos olhava com uma cara de medo e eu não sabia se era ela fazendo charme ou se tinha acontecido algo. Levantei na marra, fui até o armário da comida dela e peguei um ossinho e a chamei. Ela, na gulodice, levantou e caiu. Não conseguia apoiar a pata dianteira esquerda. Imagine uma cadela de 27kg que não consegue apoiar duas patas. Pois é…

Corremos novamente para o veterinário, às 2 da manhã. O cotovelo da pata dianteira esquerda estava inchado, mas nas radiografias não parecia nada que justificasse. O ombro estava bem, a articulação estava bem, e a médica disse que poderia ser uma picada de inseto. Não discartamos essa possibilidade, porque afinal não havia razão aparente pra ela estar com o inchaço. Ela passou um antinflamatório pra Luka e no dia deu um analgésico com antinflamatório na hora, subcutâneo, pra dar mais conforto pra ela.

Em dois dias, ela estava normal. Foi um susto e teve pelo menos um fator positivo: ela começou a usar a pata  operada.

Ontem a levámos para consulta com a ortopedista que a operou, e fazer a avaliação da cirurgia. Tudo está correndo dentro do esperado, apesar de ter o músculo bem atrofiado. A vet disse que é imprescindível fazermos fisioterapia na Luka, para que ela possa recuperar bem os movimentos e não forçar a outra pata, que já mostra sinais intermédios de displasia.

Vetou alguns movimentos, do tipo:

  • exercícios de subida
  • brincadeiras de pegar e devolver (típica de qualquer retriever)
  • rodar ou brincar de pegar o próprio rabo
  • andar ou correr em terreno não sólido (areia, colchão de espuma)

Recomendou também atividades aquáticas (banheira, piscina ou praia), pra reforçar a musculatura sem impacto.

Nos disse que podemos levá-la a uma clínica de recuperação, mas nos ensinou a fazer toda a massagem e movimentos. Temos que fazer até ela recuperar a musculatura normal e movimentos completos da pata operada.

Tentei achar no youtube os movimentos, mas nada mostra na totalidade o que a médica nos ensinou.

É gratificante ver que a Luka ficou bem, tá mais animadinha, já quer brincar, e usa a pata operada. Nosso trabalho agora é só fazer com que ela recupere o máximo de movimentos, o mais rápido possível.

Feliz feliz!

Anúncios

6 comentários sobre “Pós cirúrgico II

  1. Oi, boa tarde!

    Achei seu blog procurando esclarecimentos a respeito do assunto Osteotomia femoral. Acsbri de receber esse diagnóstico do mru Golden, Hugo, e estou sem chao e sem rumo… Por isso estou escrevendo pois estamos achando que ele tera que operar… Estava precisando de mais informaçoes, como valores gastos e outros para eu me familiarizar melhor com o assunto… Se vc puder me esclarecer e me ajudar! Agradeço desde ja! Grande abraço

    1. Olá, Manuela.
      Não sei onde vc está, mas aqui em Lisboa operamos a Luka no Hospital Veterinario de Lisboa, em Telheiras.
      Com a cirurgia + exames gastamos em torno de 1500€.
      A recuperação é chata, mas depois ela nem parecia que tinha operado.
      Tivemos que mudar algumas coisas em casa, como impedir que ela subisse no sofá, deixar absolutamente tudo plano e rigido para ela caminhar. Nada de almofadas, colchonete, camas. Passamos a dormir no chão junto com ela pra evitar que ela ficasse “de pé” ao lado da nossa cama para nos acordar de manhã.
      E mesmo sendo uma cirurgia cara, pelo impacto que tem na vida do nosso cão, vale a pena fezê-la num lugar top.
      Primeiro fizemos a radiografia pra ter a certeza da luxação do fêmur. Depois veio o ortopedista avaliar a situação.
      Marcamos a cirurgia para o dia seguinte (ela ficou internada até então) e teve alta dois dias depois da cirurgia.
      Tomou medicação pesada pra tolerar tanta dor (nomeadamente, tramal). amoxicilina, ananase e mais um outro remedio de caes.
      Depois da remoção dos pontos tivemos que fazer exercicios leves com ela e eu mesma fiz fisioterapia em casa. Nao tive oportunidade de registar os movimentos, mas achei simples e a própria ortopedista disse que dava para fazermos em vez de pagar um fisioterapeuta (que ia ser um balúrdio).
      Nos recomendou também levá-la pra nadar depois de dois meses da cirurgia. Mas nunca o fizemos.
      Não sei se a ajudei 🙂
      Boa sorte com o Hugo!

  2. Oi, li o seu blog e gostei. Estou a procura de informações, mas não achei muita coisa. Meu cão voltou hj para casa, ainda está sem se levantar, foi operado há dois dias. Ele é um pastor alemão, você poderia me explicar como fazer a limpeza dele, das necessidades. Eu tenho a impressão de que ele está com medo para se levantar, e ele mal conseguiu se arrastar donde ele fez xixi. Ele tem 10 anos e estou preocupada.
    Obrigada se puder me responder.

  3. Olá.
    Muito esclarecedoras suas palavras.É eu agradeço por cada uma delas. 😉
    Tenho uma dúvida e não encontro resposta em nenhum lugar.Que diz respeito a quanto tempo após fazer a cirurgia o cão pode voltar a tomar um banho completo.
    Sou do Brasil,mais precisamente de Curitiba.
    Tenho uma “menina” da raça pastor alemão com seis anos de vida. Ela passou pela cirurgia a um mês, e até então sem nenhum interperio.
    Achei incrível também o fato de ter sido prescrito para o seu cão medicamentos pós cirúrgicos.
    A única medicação que receitaram para ela foi um antibiótico em forma de spray.
    Tenho muitas dúvidas se estou cuidando dela da forma correta ou não.
    Obrigada por sua atenção.
    Felicidades e sucesso à você é sua família.
    Beijinhos.

    1. Olá, Débora!
      O banho completo foi liberado pela vet 15 dias após a remoção dos pontos. Ela só pediu que garantíssemos que ela ficasse beeeeem sequinha e não passássemos secador muito quente sobre a cicatriz.
      Com medo, demoramos mais tempo ainda pra dar banho nela, ainda mais que custava tanto pra ela por os pés no chão… e nosso chuveiro em Lisboa era dentro de uma banheira, a gente ficou com medo dela escorregar, se machucar, enfim…. esperamos um mês depois dos pontos e mandamos dar banho na propria vet.
      Até lá usávamos um spray de banho a seco e lenços umedecidos nas partes íntimas e patas rsrsrs
      A medicação da Luka foi mesmo pesada, mas acho que foi necessária pq ela tinha muitas dores. Ela não reclamava, mas o olhar dela… ui… Nós passamos a dormir no chão pra estar junto dela e evitar que ela fizesse esforço pra subir onde quer que fosse.
      Ela se recuperou super bem da cirurgia, ficamos com cuidados com os movimentos e esforço pra não luxar o outro fêmur e fiz a fisioterapia dela em casa mesmo. Acabei filmando alguns exercícios, mas acabei não postando e hoje já não consigo olhar pras imagens. Perdemos a Luka em janeiro/2015 (câncer) e ainda dói a ausência dela.

      Agora também “sou” de Curitiba. Mudei há dois meses pra cá e tô adorando a quantidade de lugares que são pet friendly aqui! ❤

      Tô organizando a vida e a casa e depois retomo os posts sobre os demais temas. Sobre pets não poderei falar muito em primeira pessoa, ainda estamos petless, mas vai ter um post especial sobre curitiba e sua fofurice com os peludos 😀

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s