UK + Crianças = assunto sério (Parte I)

Antes de mudar para Manchester pesquisei sobre como as coisas funcionam no UK para as crianças. Hoje vou abordar o tema educação, mas vou precisar de outro post pra falar sobre a escolha da escola. Sim, é muita informação.

O ensino obrigatório começa aos 4 anos de idade : a criança tem que completar 4 anos até Agosto do ano letivo que se inicia.
Exemplo: Crianças nascidas entre 01/09/2011 e 31/08/2012 estarão elegíveis para iniciar na reception class em Setembro 2016.

O horário das aulas é variável conforme estipulado por cada City Council (digamos que é como se fosse uma subprefeitura), mas o mais usado é das 8h30 às 15h.
Dessa forma, a criança almoça na escola (a refeição é paga pelos pais, mas é um valor muito abaixo da média, tipo, 7£ por semana). Não existem turnos de aulas, como no Brasil. Na verdade, acho que só no Brasil tem essa palhaçada de 4h de estudos por dia, dividindo em 2 ou até 3 turnos. Se alguém souber de algum lugar que também pratique essa divisão por turnos, me diz.
Acho super vantajoso para as crianças e para os pais apenas um turno de aulas com mais tempo na escola, mas isso fica pra outra discussão, porque o sistema educacional Brasileiro é uma verdadeira porcaria.

As férias “grandes” são as férias de verão, quando acaba o ano letivo. Essas férias começam na segunda quinzena de Julho, retornando as aulas na primeira semana de Setembro. Existem pequenos recessos ao longo do ano (exemplo: 2016/2017):

Outono:  24 October 2016 to 28 October 2016
Natal: 22 December 2016 to 2 January 2016
Fevereiro: 13 February 2017 to 17 February 2017
Primavera: 3 April 2017 to 13 April 2017
Maio: 29 May 2017 to 2 June 2017

Existem feriados, é lógico, mas são poucos.

Quando iniciam na reception class cada criança recebe (sim, de graça) um conjunto de livros para serem trabalhados em aula e em casa, com a família. Existe um movimento muito forte de incentivar os pais a participarem da alfabetização dos filhos.

O uniforme escolar é obrigatório, mas não é gratuito. O importante é saber que não é necessariamente caro. Todos os uniformes obedecem um padrão, que é mais ou menos assim:

A escola que eu inscrevi o meu filho para o ano letivo 2016/2017 vende apenas a gravata e o emblema da escola, para que seja fixado ao blazer. Outras escolas vendem o suéter ou o cardigan já com o emblema, ou então fazem acordo com determinadas lojas que vendem uniforme. Algumas das escolas não exigem emblema no sueter.
Abaixo fiz uns prints de alguns artigos que estão a venda na Marks & Spencer (uma super rede britânica, de tudo). Na época de volta as aulas eles tem imensas promoções de uniforme escolar, mas dá pra se ter uma ideia do preço praticado.

 

Para além do uniforme obrigatório algumas escolas estipulam regras que são levadas muito a sério, como por exemplo: proibido uso de jóias de qualquer tipo, prendedores de cabelo coloridos, penteados mirabolantes (algumas escolas só permitem rabo de cavalo e trança), brinquedos, cortes de cabelos mais “ousados”, cor de cabelo fora do “normal”, acessórios escolares chamativos ou com luzes (estojos, canetas, etc). E todos os dias eu via uma notícia nova nos jornais locais. Segue pequena lista de exemplos:

As escolas alegam que tais regras estavam claras nos “manuais” quando as crianças foram inscritas, e por isso não aceitam reclamações, não consideram preconceito ou exagero.

A maioria das escolas que rejeitam os alunos são “aided schools”, ou seja, são promovidas/suportadas por alguma vertente, geralmente religiosas (a maioria da Igreja Anglicana ou da Igreja Católica Romana).

E antes que alguém venha com 7 pedras sobre essas escolas ou julgue os pais por colocar lá os filhos, uma ressalva apenas: são as melhores. E a explicação disso ficará para o próximo post deste tema.

Anúncios

8 comentários sobre “UK + Crianças = assunto sério (Parte I)

  1. Oi, tudo bem? Eu mandei uma mensagem pra vc início de dezembro, mas depois vi que vc teve problemas com seu micro e não deve ter visto. Seu post “Fala que eu te escuto” me encorajou a escrever. Não quero encher o saco, mas ter uma pessoas ajudando assim, tirando umas duvidas seria excelente.Minhas perguntas são sobre Portugal. Aqui em casa somos todos brasileiros, mas todos temos cidadania, eu, minha esposa, um filho de 18 anos e outro de 8 anos, e estamos pretendendo ir para lá.

    Li algumas notícias no jornal em Portugal falando algumas coisas ruins da saúde por lá: médicos trabalhando mais de 30 horas direto, filas para atendimento de 4 horas, consultórios particulares muito caros, falta dos chamados “médicos da família” que não estavam chegando para grande parte da população… como vc vê isso por lá?

    Outro ponto é o custo de vida: minha idéia é que com 1500 euros mensais de salário, e uma graninha de reserva que vou levar daqui pra alguma emergência, seriam suficientes pra gente ficar lá um primeiro ano, e depois a gente vai conhecendo melhor, pretendo fazer um mestrado por lá, e conseguindo empregos melhores e evoluindo… Minha idéia é ir para Porto, mas Lisboa não está descartado. A gente consiga se virar por lá dessa forma? 1500 euros dá pra viver sem luxos? Sem carro? Sem restaurantes caros no final de semana? Essa crise em Portugal, a meu ver, principalmente em 2016, é pinto perto da crise que estamos passando aqui no Brasil. E olha que todos temos boas formações aqui em casa.

    Muito obrigado pela atenção

    um abraço

    Rogerio Miranda

    1. Oi, super me interessava saber a resposta recebida pelo Rogério. Estou lendo seu blog e todos os comentários e estou gostando muito, até prq , como vc já é mãe e viveu essa experiência em Portugal, confio muito no que vc escreve.
      Assim, tomei coragem de te escrever e agradeceria muito se vc puder me ajudar. Pretendemos ir em Jan 2017 e somos um casal com um filho que estará com 7 anos. E contaremos com essa renda inicial (1300/1500), mais uma economia para emergência. Será que dá para começar a vida sem luxo (sem carro, morando se necessário for em um apto de um quarto, mas com segurança e qualidade)? Somos, como vc, cariocas (eu e meu meu filho temos a cidadania portuguesa) e não aguentamos mais a violência, o trânsito, a instabilidade no emprego… Gostaria de saber, tbm, se realmente posso ficar tranquila em contar com uma educação pública de qualidade para ele, aqui pagamos um colégio particular, que é um dos três melhores do bairro, zona norte. Pretendemos morar em Lisboa. E, claro, esse assunto sobre a saúde pública tbm me interessa muito. Meu marido trabalha com TI e busca um trabalho integral e eu gostaria de voltar a trabalhar tbm, sou advogada (tenho inglês intermediario), mas não necessariamente nesta área, buscava uma ocupação de meio expediente (existe por ai?).
      Muito muito obrigada!
      Adriana

  2. Ansiosa pela parte 2!!! Estamos planejando ir para Manchester em breve e informações como essas nos ajudam muitoo! Obrigada! Bjs

  3. Olá!
    Meu nome é Janine, quero ir para Portugal com meus três filhos,uma tem 16 anos, outra tem 10 anos e o menino tem 6 anos.Quero arrumar um emprego,não tenho nivel superior completo,mas não tenho restrições sobre onde trabalhar e o que fazer.Vou levar uma boa reserva em dinheiro. Consigo escola para meus filhos?Por omde começar. Será que é loucura fazer esta mudança? Gostaria de receber dicas de quem já mora em Portugal.

  4. Olá Carol, sou mais uma que te enviou uma mensagem para o fala que eu te escuto e ainda não recebi resposta. Também vi o seu problema com o computador e percebo que não deve ser fácil responder toda gente, mas não esquece de mim ta?! A minha dúvida era sobre a nacionalidade portuguesa por casamento. Obrigada!
    Aline M.

  5. Oi Carol! Nossa! Não consigo nem descrever o quanto gostei do seu post! Sério! Nunca tinha lido nada tão detalhado sobre a educação britânica (apenas que é maravilhosa) e claro que reconheço o quão boa é mesmo pelo contato com os cidadãos. Adorei mesmo! E confesso que até me agradou bastante saber inclusive dessas rigorosidades que ocorrem em algumas. Eu e meu marido estamos planejando um filho logo e ele nunca tinha comentado comigo tantos detalhes assim sobre a educação lá. Ainda não sabemos se vamos ficar morando definitivamente em Winsford, Northwich ou Manchester, mas já me ajudou bastante ler sobre isso. Um assunto super interessante, gostei mesmo e to ficando repetitiva já. 😀 Eu achei os valores dos almoços e uniformes bem agradáveis inclusive! Já coloquei seu link pra ficar seguindo lá no meu blog, gostei das informações que você compartilha e estaremos próximas também, beijão! http://brazenglishcouple.blogspot.com

  6. Oi Carol! Tudo bem? Me interessei muito pela sua história! Moro nos EUA, com meu marido, filha de 2 anos e cachorro e estamos considerando ir para outro país. Estávamos considerando Portugal e achei seu blog, agora já estamos pensando em Manchester! Você poderia voltar a escrever, contar mais sobre sua adaptação aí… Obrigada por compartilhar!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s