Arquivo da categoria: Mãe e bebê

O que escrevem no google pra chegar até aqui?

Às vezes me pergunto como tenho mais de 100k visitas no meu blog, visto que não escrevo com regularidade e também não escrevo nenhum tema em específico. Existem assuntos que não me interessam escrever, mas como sou muito eclética, quem sabe um dia abordo coisas novas? Mas ter tantas visitas e esse volume estar aumentando me suscita a curiosidade.

O post que mais fez sucesso até agora foi a de uma matéria de revista sobre a Mulher Brasileira, mas alguns relacionados a doenças (Papilomatose, Osteotomia do fêmur, Ceratose folicular, rosácea) são bastante procurados.

Os posts que escrevi sobre a minha primeira gravidez (acho que esqueci de dizer que estou no meio da segunda gravidez) e amamentação também despertaram o interesse dos cibernautas desconhecidos e pesquisas aleatórias os trouxeram para o meu blog.

A questão é que a maioria das coisas que pesquisam não está respondida aqui, em nenhum post, mas também seria complicado estar… A mente humana é ilimitada na sua imaginação e capacidade de questionar tudo o que há a sua volta, e eu nunca conseguiria escrever sobre 10% do que pesquisam. Porém, com a minha atual disponibilidade integral de tempo (sim, segui meu próprio conselho e resolvi fazer o arroz como deve de ser), consultei nas estatísticas que o próprio WordPress dispõe as termos inseridos nos motores de busca que trazem para cá mais visitantes. E resolvi dar uma resposta breve para cada um deles Continue a ler O que escrevem no google pra chegar até aqui?

Meu (traumático) parto – Parte I

Já falei aqui sobre a gravidez, sobre a amamentação, e fiquei de falar em algum momento sobre o meu parto.

Esse blog não é sobre maternidade, é sobre a minha vida em terras lusas, e defintivamente, dar à luz uma criança aqui faz parte da minha vida. Continue a ler Meu (traumático) parto – Parte I

Calcanhar rachado/gretado

Dentre algumas heranças que tive da gravidez (gordura, dores nas costas, uns fios de cabelo branco) fui presenteada com rachaduras nos calcanhares. Do dia que descobri que estava grávida, para o dia do parto, eu engordei 13kg. Não é muito, mas eu não sou magrinha (e nem pretendo ser), e tinha acabado de vir de Londres, onde passamos nossa segunda lua de mel. Nem preciso dizer que comi horrores!! Fiz turismo cultural e gastronômico. Comi tanta porcaria e tanta coisa boa, que devo ter engordado mais uns 3kg em apenas 5 dias. Então vamos fazer de conta que engordei 16kg (sim, porque eu já estava grávida quando fui para Londres, e só descobri no dia seguinte ao nosso retorno).

A forma roliça que eu fiquei não me permitia abaixar e alcançar os pés (ou mesmo enxergá-los), e o excesso de peso castigou muito o meu calcanhar. Os pés ficaram Continue a ler Calcanhar rachado/gretado

A verdade sobre a amamentação – Parte II

Meu último post foi um desabafo sobre a pressão que nós mães sofremos para amamentar exclusivamente com LM (leite materno) os nossos filhos, até os 6 meses de vida, e complementarmente até 1 ano de idade.

Se fosse realmente possível, seria o melhor dos mundos, mas a maioria das mães não conseguem seguir essa orientação tão à risca. Não por não querer, mas por não produzir leite o suficiente (meu caso) para suprir a fome do bebê e por ter que voltar ao trabalho depois da licença (e nos países de Lingua Portuguesa eu tenho a certeza que na legislação vigente o retorno ao trabalho acontece antes dos 6 meses de vida da criança) – que também é o meu caso. Continue a ler A verdade sobre a amamentação – Parte II

A verdade sobre a amamentação – Parte I

Estou lendo um livro sobre aleitamento materno, da enfermeira Helena Saraiva. Hoje cheguei no capítulo que explica as vantagens do Leite Materno em exclusividade, me revoltei e resolvi escrever sobre a amamentação.

Como vocês sabem, eu estava super grávida, e meu bebe nasceu no comecinho de Junho/2012, e depois disso minha vida deixou de ser minha e passou a ser dele.
Queria escrever antes sobre o trabalho de parto e o parto em si, o puerpério, mas isso vai ficar pra outro dia.

Vamos focar num ponto: Continue a ler A verdade sobre a amamentação – Parte I

Fechar a MAC??

Até há uns dois meses atrás eu estava com dúvidas sobre ter o meu bebê na MAC. Estava insegura sobre o acompanhamento, sobre a segurança de ter meu filho numa maternidade pública, se eu seria tratada como gado, se o corpo médico estaria à altura do que eu preciso pra ter um parto saudável, etc.

Recapitulando: minha gravidez está sendo seguida/acompanhada pela MAC, na consulta de Alto Risco, porque no rastreio bioquímico minha pressão/tensão estava em 14×9, e a médica que fez o rastreio disse que eu teria que ser vigiada por especialistas devido a riscos de patologias associadas à tensão arterial na gravidez. Durante os 6 primeiros meses a única preocupação dos médicos era o meu peso e a minha aparência física, e isso me deixou muito estressada. A verdade é: estou nas tintas (ou “me lixando”, no Brasil) pra minha forma física na gravidez, quero saber se meu filho tá bem, se tá se formando direitinho, saudável, dentro do normal, e não era esse o meu feeling na altura, porque ninguém me perguntava se eu bebia, se fumava ou me drogava, se comia carne mal passada, salada na rua. Só me julgavam por não ser esguia.

Um adendo rápido: o biotipo da nova portuguesa não é o que os brasileiros têm em mente Continue a ler Fechar a MAC??

Cheguei às 38… Falta muito???

Completei as 38 semanas de gestação. Nem acredito que cheguei aqui, e tenho dúvidas se foi rápido ou se demorou. Tudo depende do ponto de vista. Desde que eu descobri que estava grávida até que demorou alguma coisa, mas desde que eu me senti grávida (que foi lá pelo 4º mês), foi um pulo.

O que mudou? Continue a ler Cheguei às 38… Falta muito???

Comprando o que o bebê precisa

Em todos os sites que eu visitei pra pesquisar sobre lista de itens para comprar para o bebê, o dito enxoval, encontro uma lista imensa de coisas que eu sinceramente acho que é preciosismo. Quando vemos então a lista de coisas para a maternidade, nooooooossa…. E ainda dizem que temos que deixar pronto até o 7º mês, pra evitar correria no final. Não vejo razão pra isso se não for uma gravidez de risco.

Pra vcs terem uma noção, o que eu encontrei na maioria dos sites e blogs foi algo parecido com a singela lista abaixo: Continue a ler Comprando o que o bebê precisa