Arquivo da categoria: Sociedade

The Pankaj Method

Since we are in UK we’ve got our own prepaid mobile numbers. We chose EE as our carrier because, as statistics shown, has the best coverage area. In our home the service was poor, although it worked anyway.

Suddenly last monday our area became a no service zone for EE mobile signal, indoor or outdoor. And when I say outdoor I mean on my balcony, on my street, main street, two blocks away.

Because of this we decided to port out our numbers to another carrier and as we had a great experience in Lisbon with Vodafone, so… Vodafone will be.

The process is very simple: go to a store, ask for a Continue a ler The Pankaj Method

Potencial subestimado em Lisboa

Uma das coisas que mais me irritam aqui em Lisboa é a falta de opção para algumas coisas.

Existe um “gap” na área da cultura e lazer, mas o que bate o record é a falta de oferta na área da alimentação. Sim, isso mesmo!

Não estou dizendo que Lisboa não tem um lugar pra se comer. Ou que restaurantes são raridade. Pelo contrário! Tem muito. Mas o potencial é subestimado. E você me pergunta: “subestimado? Como assim?”

Eu explico:

Você está no Continue a ler Potencial subestimado em Lisboa

Fechar a MAC??

Até há uns dois meses atrás eu estava com dúvidas sobre ter o meu bebê na MAC. Estava insegura sobre o acompanhamento, sobre a segurança de ter meu filho numa maternidade pública, se eu seria tratada como gado, se o corpo médico estaria à altura do que eu preciso pra ter um parto saudável, etc.

Recapitulando: minha gravidez está sendo seguida/acompanhada pela MAC, na consulta de Alto Risco, porque no rastreio bioquímico minha pressão/tensão estava em 14×9, e a médica que fez o rastreio disse que eu teria que ser vigiada por especialistas devido a riscos de patologias associadas à tensão arterial na gravidez. Durante os 6 primeiros meses a única preocupação dos médicos era o meu peso e a minha aparência física, e isso me deixou muito estressada. A verdade é: estou nas tintas (ou “me lixando”, no Brasil) pra minha forma física na gravidez, quero saber se meu filho tá bem, se tá se formando direitinho, saudável, dentro do normal, e não era esse o meu feeling na altura, porque ninguém me perguntava se eu bebia, se fumava ou me drogava, se comia carne mal passada, salada na rua. Só me julgavam por não ser esguia.

Um adendo rápido: o biotipo da nova portuguesa não é o que os brasileiros têm em mente Continue a ler Fechar a MAC??

Viajar de avião

Sabe quando, no meio de uma galera, rola aquele papo de viagens, férias, destinos etc? Sempre tem alguém que diz assim: “eu adoro viajar de avião”.

Com a minha viagem de férias se aproximando, eu comecei a me lembrar do frio que sinto na barriga na decolagem/descolagem e do tensão que eu fico até o avião não só aterrizar/aterrar, como abrir as portas e eu sair daquela coisa.

Então refleti sobre as pessoas que eu já ouvi proferirem a respectiva frase (ou semelhante): São loucos e hipócritas!!!!!
Pensem comigo. 95% das pessoas que viajam, vão de classe econômica. Não conheço ninguém que tenha dito essa frase e tenha ido de 1a. classe.

Logo, como pode ser divertido uma viagem em que vc tem que ficar sentado o tempo todo, num lugar apertado, vendo um filme que você já viu (ou então era tão ruim que vc nem soube da existência dele), comendo uma comidinha meia bomba, e que você tem que rezar pra aeromoça/hospedeira passar pelo corredor pra vc implorar por um copo d’água (e ela te dá meio copo).

Sem contar que sempre tem algum chato no avião. Um maluco que bate papo com todo mundo, a velhotinha que conta a vida dela toda, um mané que faz amizade no avião e fica contando toda a riqueza que (não) tem e competindo status social, ou um cara que ronca alto, ou uma criança que chora a viagem toda(esse é clássico!), ou então o cara do banco da frente que mete o encosto todo pra trás, e aquele espaço micro que você tinha, virou um espaço nano.

Vamos supor que você não está se sentindo muito bem do intestino e precisa ir no w.c. fazer algo que ninguém pode fazer por você. Aí tu chega ali no banheiro e fica em pé esperando vagar. E vagou! Ok. Você entra e começa a fazer o que tem de fazer, e obviamente demora. A pessoa que tá ali te esperando tá sabendo o que vc ta fazendo. Ela e todo mundo do avião que tá incomodado em ter uma pessoa ali em pé.

Depois que você sai, todo mundo olha pra tua cara e pensa assim “esse aí deve estar mais leve agora…”

Não…não é legal…

Soma a isso tudo uma possível turbulência.

Agora o último fator. Graças ao 11 de setembro, até as pessoas que são livres de preconceito racial, social ou qualquer outro, suam frio quando vêem alguém de turbante dentro do avião (não venha me dizer que você não fica olhando pro camarada de turbante pra ver se não tem algum volume suspeito).

Eu não apenas suo frio como também fico pálida.

Agora concorda comigo que essa pessoas que dizem que gostam de viajar de avião são completamente loucas???

 

E o verão é assim:

Não consigo me acostumar com o verão em Portugal. Lógico que não me refiro ao calor, afinal, sendo carioca, se o inverno que estava habituada tinha uma temperatura média de 24ºC, não preciso dizer que a música da Fernanda Abreu não é nada exagerada.

O que acontece aqui é o seguinte: a cidade esvazia e tudo fecha. Sabe carnaval no Rio na década de 90? Exatamente isso. Não se vê movimento, as ruas são vazias, os transportes estão vazios, e os estabelecimentos comerciais fecham. Só temos os shoppings, é claro.

Onde eu trabalho tem uma escassez terrível de lugares decentes para comer (depois escrevo melhor sobre isso), e a maioria deles simplesmente fechou por duas semanas no verão. Eu levo comida de casa, ou então passo num café e compro duas coxinhas (feitas por quem sabe fazer, é claro), ou então a saída mais fácil e menos saudável: McDonalds.

Nunca na minha vida eu imaginei que a capital de um país fechasse para férias. Ok, a ausência de pessoas na cidade justificaria então a não-necessidade de todos os serviços funcionando a pleno vapor, mas estamos falando de uma região central, do lado da sede da segurança social, perto de hotéis, com muitas empresas ali e muita circulação de pessoas. Não noto uma diferença tão grande do movimento ali onde trabalho mesmo no período das grandes férias, mas enfim…

Na 2a feira meu marido me buscou no trabalho para me levar a Belém e comermos uma Pita Shoarma num restaurantezinho fastfood pequenininho, mas que faz a melhor Pita de Lisboa. Tem outras redes aqui que fazem isso, mas ali é o melhor. Fica num dos principais pontos turísticos de Lisboa, ao lado do Mosteiro dos Jerónimos, onde passam milhares de turistas todos os dias. Conclusão: fechado para férias.

Fico pasma. Com essa crise louca um dos lugares mais baratos pra se comer naquela região se dá ao luxo de fechar para férias? Acho que não tá com tanta crise assim, não é mesmo?

E mais: com a dita crise, as pessoas estão viajando? Sim, porque por mais que viajar aqui pela Europa seja barato, viajar é sempre mais caro que ficar em casa. Eu não sei dizer, mas sei que os jovens todos fogem para o Algarve, para os festivais de verão.

São vários, com muitos artistas de peso. Este ano estiveram por cá: David Guetta, Coldplay, Scissor Sisters, Snoop Dogg, 30 Seconds to Mars, Foo Fighters, My Chemical Romance, Arctic Monkeys, The Cranberries, Mika, etc.

Os festivais mais famosos são proporcionados pelos grandes que estão mais ligados ao público jovem: TMN, Optimus, SuperBock.

Tem ainda uns de Jazz, outros alternativos e até uns meia boca, promovidos por partidos políticos (como a festa do Avante, por exemplo).

Fato é: se você é jovem e quer curtir muito em julho e agosto, venha a Portugal, compre ingresso pra 5 dias de festival a uns 100€, com direito a parque de campismo, e aproveite. Se eu tivesse uns 10 anos a menos, talvez me empolgasse pra ir até a Zambujeira do Mar para ver o David Guetta, mas… não tenho mais pique pra isso (admiro muito quem tem a minha idade e aguenta o rojão hehehe).

Agora, se você tem 10 anos a mais que eu, tirando o festival de jazz… não vai ter muito o que fazer por aqui nesse período, porque nem o café da esquina fica aberto…

Como assim????

O dia de hoje estava meio cinzento, mas extremamente abafado. Não dava vontade de fazer nada, a não ser ficar no sofá, em frente ao ventilador, vendo televisão… Mas tínhamos que ir ao mercado.
Aproveitamos para colocar o carro pra lavar (para quem quiser saber, 20€ a lavagem completa), e fomos dar uma voltinha pra fazer hora. Passamos na FNAC, procurei o tal fone pro meu celular (jack 2.5mm com mic), mas pra variar, só tem 3.5mm. Desisti e fui dar um “rolezinho” pelas câmeras fotográficas. Um amigo no trabalho tem uma Canon profissional, toda xpto, e eu brinquei com ela ontem e fiquei apaixonada! Então fui sondar o preço.

Então estava eu ali olhando as câmeras e tinha um senhor (refiro-me respeitosamente, pois deveria ter uns 45 anos, não era tão senhor assim) que também estava ali vendo preços e tal. A filha dele veio atrás. Devia ter uns 13 anos de idade. Por um instante eu achei que não fosse filha, que fosse uma irmã muuuito mais nova, ou apenas uma menina maluca perdida por ali, sei lá, mas como ela o chamou de “pai”, a dúvida desfez-se.

Voltando à história. Então o tal senhor pegou numa câmera sei lá das quantas e disse “humm, esta é mesmo boa”. Eis que a garota fala assim: “que estupidez, não sei pra que quer uma coisas dessas”. O tom da menina foi tão indelicado que vocês não têm noção. O pai não disse nada. A menina ainda continuou: “não percebes nada disto, não perca seu tempo vendo parvoíces”. E o pai continuou calado. Aí a menina começou a olhar as outras câmeras e pegou numa e disse “ah, essa é igual da minha amiga, essa sim é boa! veja aqui se não é boa! é sim, é sim! ela tem uma dessas”.

Claro que eu não estou citando ao pé da letra o que ela disse, meu cérebro filtrou metade dos insultos que ela disse ao pai… E ele ainda assim não disse nada.

Pra terem uma ideia do “tom” da menina, lembram do filme “Love Actually” (“Simplesmente amor” no Brasil e “O amor acontece” em Portugal”)? No final do filme, quando o personagem do Colin Firth vai na comunidade portuguesa procurar a Aurélia (Lúcia Moniz), e o pai da Aurélia abre a porta, o Colin Firth diz que quer casar com a filha dele,  e ele chama a outra filha encalhada? Lembram como a mulher responde ao pai? É exatamente assim que essa menina da FNAC falou. Nesse tom.  Péssimo, não?

Saí de perto, porque a minha vontade era de dizer ao pai “se fosse eu assim falando com meu pai, já teria levado uns tapas na boca”, mas como estou mais tuga que outra coisa, evitei colocar pra fora o meu lado contestador. Fui ver então as novidades do PS3, ver preço do PS Move, e depois de uns 5 minutos vem a mesma menina pra perto de onde eu estava… mas agora com a mãe.

A mãe tava vendo não sei o que pra não sei quem, e a menina disse: “não compres isso! mais vale comprar dois desse aqui pra mim!”.

Eu nem olhei o que era, mas me irritou tanto… Eu saí de perto de novo, mas fiquei tão incomodada com esse tipo de comportamento!!! Nem me refiro somente ao da filha, mas ao dos pais que não colocam a miúda no lugar dela!! Como assim??? Minha filha me chama de estúpido, é fútil ao ponto de achar que o que a amiguinha tem é bom, e ainda por cima é egoísta??? E eu não faço nada??? Ui… ai, se fosse comigo…

Depois disso eu e meu marido tivemos uma longa conversa sobre filhos, criação e como lidaríamos com uma situação dessas. Acho que seremos bons pais. Não partiríamos pra violência, mas sim pra consciência da criança. Nossa esperança sincera é que nossos filhos não cheguem a esse ponto, e tenham respeito pelos pais e não seja fútil ao ponto de querer ter algo só porque alguém na escola também tem.

Meu objetivo com esse post é fazer um protesto aos pais: Quem ama diz não, quem ama educa. Provem que amam os filhos e lhes dê educação!!!

Sorrir não custa nada!

A respeito da minha prévia publicação sobre a reportagem da Focus (O segredo da mulher brasileira), estive pensando esses dias sobre esse tal “segredo”, e resolvi deixar o meu lado feminista escrever hoje. Normalmente sou imparcial, mas hoje abrirei excepção.

Cheguei a conclusão que tem a ver mesmo com “O Segredo“. A auto-estima (que tem que estar alta), a confiança, a segurança, o fato de se gostar do jeito que

é, de não ter vergonha de mostrar o que sente. Eu vejo tantas meninas lindas, com potencial, mas que resmungam tanto!! Tudo é negativo, tudo vai dar errado.

Esse post não é direcionado às portuguesas, apenas. Conheço algumas brasileiras que simplesmente agem como se tivessem se achado no lixo. Então, mulher insegura de qualquer lugar do mundo, esse post é para você!

Ei! Não é porque uma coisa não saiu exatamente lá como você queria é que todo o resto da sua vida está acabado. Não é porque o cara que você tá afim te deu tampa/cano/bolo é que você vai ficar encalhada pro resto da vida.

Fico irritada de ver mulheres se depreciando, ficando com os caras errados, e sabem que estão errados, mas enfim… pensam que aquilo é o melhor que vão conseguir. WRONG!!!!

É difícil olhar no espelho e enxergar que aquela pessoa que tá ali no reflexo merece mais? É capaz de mais? É melhor?

Acho que a terapia tradicional não vai ajudar essas mulheres, elas tinham que ir pra um grupo de auto ajuda, de auto valorização, e ouvir pessoas que as façam acordar pra vida.

Não sou nenhuma expert no assunto, mas garanto que a felicidade depende de algumas coisas, mas gostar de si mesma é a principal delas.  Sorrir mais, ver o lado positivo da coisa, pensar que o copo está metade cheio, e ter consciência das conquistas que já fez até agora.

Se alguém quiser se abrir com uma desconhecida, se precisa de uma ajuda, desabafar, ouvir uma opinião, ok, conte comigo! Não prometo resolver a sua vida, mas se eu conseguir te ajudar em algum aspecto, já fico feliz!

Bjs a todas.