Eu, que não sou uma mãe normal

Como toda mãe normal eu acompanho alguns blogs e matérias sobre maternidade e parenting. E hoje em especial eu li um post que me levou a outro, que me levou a outro e que me levou a concluir que… Eu não sou uma mãe normal.

Já reparei que muitas das mães que falam sobre os suas experiências e desabafos maternais começam dizendo algo do gênero “sempre quis ser mãe de menina” ou “sempre soube que seria mãe de menino”.

Eu não sou uma mãe normal. Nunca sonhei em ter filhos, muito menos em específico menino ou menina ou um casalzinho e muito menos ainda sonhei em ter gêmeos ( apesar de que quem deseja ter gêmeos não deve ser uma pessoa muito normal). Hoje tenho o que todo mundo acha normal: um menino e uma menina. E quando eu dizia que ia ser legal que o segundo fosse outro menino eu ouvia “ahhhhhhh não! Agora tem que ser uma menina!!”. E quando eu perguntava o por quê a resposta era: porque sim, oras!  Continuar lendo “Eu, que não sou uma mãe normal”

Mãe, babá, bebê e afins

charge_escravocrata

Ontem vi esta charge no facebook e então fiz um comentário expondo a minha opinião, que cito a seguir:

“Dura realidade.
O ilustrador tinha só que colocar a senhora que está empurrando o carrinho com o fatídico uniforme de babá… que eu sinceramente acho uma babaquice.”

É de se imaginar que uma mãe que tem babá e que a veste com uniforme tenha vindo se defender como se o que eu escrevi fosse um ataque pessoal a ela e a sua forma de pensar.

O que me irrita nesta realidade virtual em que cada um fala o que quer, é que não se pode discordar de ninguém que é encarado quase como uma ofensa gravíssima.

Tudo entra como estereotipização. Continuar lendo “Mãe, babá, bebê e afins”

Ser mãe com internet é…

Eu subscrevi os feeds de duas páginas sobre maternidade/parenting: Just Real Moms e De Mãe para Mãe.
O primeiro é brasileiro, o segundo é português.

Alguns posts destes sites são bastante úteis. Mas são poucos. Essa é a minha opinião, é claro.
Sabemos que algumas publicações são patrocinadas e que puxam a sardinha pra brasa de determinado produto ou marca, mas quando é demais deixa de ser fiável porque sabemos que é apenas propaganda.

Me irrita mais o site brasileiro que o português, que abaixo listo Continuar lendo “Ser mãe com internet é…”

Fazer amigos em Lisboa – Parte II

Anos depois do primeiro post com este tema, recebi vários emails e comentários sobre o assunto. E senti-me na obrigação de contar como é o meu pensamento hoje em relação a isso.

O que mantém-se:

  • Sim, os portugueses são mais fechados
  • Não, ninguém vai trocar telefone com você na fila do mercado e combinar de fazer um churrascão no fim de semana
  • O humor dos portugueses é mais ácido do que o dos brasileiros
  • Em geral, os portugueses tem uma natureza pessimista

O que eu descobri: Continuar lendo “Fazer amigos em Lisboa – Parte II”

Uns adaptam-se, outros…

Não é a primeira vez que alguém se aproxima de nós na rua para puxar assunto. São brasileiros que se sentem reconfortados em nos ouvir falar (por mais que já estejamos habituados a alguns verbetes e expressões, falamos como brasileiros) e puxam assunto. Além disso, quando vamos a alguma loja, restaurante ou mercado e há algum brasileiro trabalhando, eles puxam assunto. Continuar lendo “Uns adaptam-se, outros…”