Morar cá – parte técnica

Viver aqui é bom, mas pra isso é preciso morar.

Eu pesquisei muito sobre zonas boas pra viver em Lisboa, preço de apartamentos, se é possível alugá-los com mobília e equipamento de cozinha, se exigem fiador, etc.

A primeira dificuldade foi entender o que são os T1, T2, T3…
Depois foi tentar identificar uma zona “morável” (porque habitável todas são), descobrir sites com anúncios de aluguel e tal.
Então o mais difícil: alugar. Existe muito preconceito aqui, e infelizmente, os justos pagam pelos errados.
Daí foi só me habituar aos costumes esquisitos daqui.

Bem, aqui as moradias são divididas em tipologias:
T0 = conjugado
T1 = 1 quarto
T2 = 2 quartos
T3 = 3 quartos, e assim por diante.

Em alguns anúncios notei que existe uma descrição assim “T2, 4 assoalhadas”
Eu nunca entendi isso direito, mas achei no site do BES (Banco Espírito Santo) uma definição que possa ajudar:
Consideram-se assoalhadas os quartos, as salas de estar e de jogos, as bibliotecas, escritórios, etc. Sempre que uma destas divisões tenha mais de 30m2 (até 60m2) considera-se como 2 assoalhadas ou 3 assoalhadas (até 90m2).

Quando é dito que a cozinha está equipada, referem-se aos eletrodomésticos mais importantes, geralmente geladeira (aqui é chamada de frigorífico), aquecedor (aqui chamado de esquentador), fogão e forno (nem sempre é a mesma peça, como os fogões que estamos habituados no Brasil). Geralmente o forno é elétrico, e o fogão é a gás.
Atente para o detalhe:

  •  totalmente equipada = além do básico, tem forno de microondas, máquina de lavar louça, máquina de lavar roupa, e às vezes cafeteira e máquina de secar roupa (algumas vezes é a mesma máquina que lava e seca roupa).
  • semi-equipada = talvez não tenha um ou mais dos itens básicos

Geralmente não tem área de serviço, não tem tanque e… não tem ralo na cozinha ou banheiro. Pois é… aqui não existe o hábito de lavar o chão, de lavar cozinha ou banheiro.
Assim que eu cheguei no meu apartamento, tirei um dia pra limpeza, limpei móveis, sala, corredor, quarto, janelas e deixei por último o banheiro e a cozinha. Joguei água no banheiro todo. Quando fui escoar a água… cadê o ralo? Não tem. Até tem, mas eles são vedados com um acabamento que não dá pra tirar. Aí eu tive que usar a força braçal. Passar o pano e torcer? Não. Antes fosse.  Aqui não tem pano de chão. Juro que não achei. Até pedi pra minha mãe mandar do Brasil. Eu tive que tirar toda aquele aguaceiro que eu joguei no banheiro com uma única coisa: um esfregão. Sim! Um mopi de barbantes.

Existem coisas importantes para analisar quando arrendar um apartamento:

  • analisar as paredes, se estão úmidas
  • se há sistema de calefação (aquecimento)
  • se o aquecedor (esquentador) funciona, e testá-lo por cerca de 10 minutos
  • observar se há vasamentos sob as pias da cozinha e banheiro
  • se há estores nas janelas e portas, e se estes funcionam perfeitamente
  • se todas as tomadas funcionam (importante testar na frente do proprietário ou da pessoa responsável em mostrar o apartamento)
  • se bate sol, principalmente na cozinha, em algum momento do dia
  • se há ventilação ou exaustão no banheiro
  • se for um T0 ou uma moradia com cozinha americana, certifique-se que há exaustor ou coifa sobre o fogão

Se as paredes estiverem úmidas, isso quer dizer que há infiltração ou absorção de umidade. Em Lisboa, principalmente na região próxima ao rio Tejo há muita umidade. No inverno é demais.
Isso irá causar mofo, e já sabemos que mofo traz problemas de saúde. Em crianças então…

O esquentador, aquecedor e estores são fundamentais pro frio do final do ano. O esquentador é pra aquecer a água. O aquecedor é para o ambiente (existem diversos tipos, mas ainda não tenho uma opinião formada sobre qual é melhor, mais econômico, etc) e os estores além de bloquear o vento e o frio, impedem que o calor saia do ambiente.

O exaustor ou ventilação no banheiro é mais que necessário. No verão ainda não sei, pois só tenho experiência com o frio daqui. Mas como tomamos banho muito quente, o banheiro fica com muito vapor e sua as paredes e o teto. Sem uma ventilação, o vapor fica concentrado, condensa nas paredes (não que deixe de condensar se tiver exaustor ou ventilação, mas condensa menos), e o resto fica pra explicação na aula de química. E isso aumenta a chance de gerar mofo ou bolor.

Outro detalhe que faz a diferença é ter na sala, corredor e quartos um piso que não seja de cerâmica ou pedra. Aqui é mais comum piso de cerâmica nos apartamento pra alugar, por dar menos trabalho para os proprietários. Alguns apartamentos antigos têm piso de taco ou ripas de madeira. Os apartamentos mais novos têm piso flutuante, que é bem mais prático, de fácil manutenção e o principal: amenizam o frio.

Além do piso de cerâmica, algumas moradias têm azulejo até a altura da metade da parede da sala e corredores. Isso é tipo um canal de captação de frio. Não é paranóia minha, juro!
Cheguei aqui em Novembro, finalzinho do outono. O inverno na Europa é bem diferente do que estou acostumada no Brasil, ou seja, aqui faz frio de verdade e a temperatura chega a descer para os 4ºC no final de Dezembro e início de Janeiro.
Enfim, quanto menos cerâmica na casa, melhor.

Anúncios

Um comentário sobre “Morar cá – parte técnica

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s